— ler mais..

Três dirigentes com grandes responsabilidades no futebol português deram esta semana maior sentido a uma frase célebre: “Profissionais no futebol português só os jogadores.” 1. Luís Duq..." /> — ler mais..

Três dirigentes com grandes responsabilidades no futebol português deram esta semana maior sentido a uma frase célebre: “Profissionais no futebol português só os jogadores.” 1. Luís Duq..." /> Semanada - Record
30 Julho, 2015

Profissionais são os jogadores

Três dirigentes com grandes responsabilidades no futebol português deram esta semana maior sentido a uma frase célebre: “Profissionais no futebol português só os jogadores.”

1. Luís Duque, a mando dos clubes, mandou para ratificação na AG da Federação duas propostas de alterações aos regulamentos de disciplina e de arbitragem repletas de ilegalidades.

2. Bruno de Carvalho culpou Luís Duque pelo chumbo do sorteio dos árbitros, desconhecendo que a AG da FPF é composta por 84 delegados, que vão dos médicos aos treinadores, dos enfermeiros aos clubes não profissionais. E que o voto da Liga é igual a 1.

3. Luís Duque e Pedro Proença tinham previsto nas propostas eleitorais para a Liga entregar a arbitragem a uma empresa autónoma, como sucede no futebol inglês, desconhecendo que não tinham competência para o fazer caso fossem eleitos.

Antes de exigências e propostas, estudem. Se não puderem, aconselhem-se. Gerirem como amadores negócios de milhões é que não pode ser. Ou pode?

 

755 visualizações
16 Julho, 2015

Pinto da Costa a reboque do Sporting – será possível?

Bastaram 10 meses para ver que o que parecia, afinal, não era. Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira juntos na procura de uma solução para a Liga, com o Sporting à margem da decisão, era uma absoluta novidade desde os tempos em que o antigo presidente do Alverca tinha também o cartão de sócio dos dragões. Escolhido Luís Duque num processo que atingiu Bruno de Carvalho em cheio, a estranha aliança conseguiu uma carambola monumental.

Mas o Benfica foi campeão. O FC Porto perdeu tudo. E o Sporting desencantou a ideia do sorteio dos árbitros, que Pinto da Costa agarrou com as duas mãos. O problema, afinal, era o Conselho de Arbitragem e as nomeações de Vítor Pereira.

O Benfica ganhou, quer tudo na mesma. Quem perdeu pretende mudanças. Normal. E normalíssimo é que Pinto da Costa se posicione conforme as conveniências do FC Porto, mais estranho é que apareça subalterno, a reboque do Sporting, e tire o tapete a Luís Duque, formando uma nova aliança, agora anti-Benfica.

Está bem apresentada, a cebolada. Falta saber quem vai ser comido.

610 visualizações
4 Julho, 2015

Sorteio dos árbitros durará duas épocas

Já foi escrito: no grande futebol, só há sorteio de árbitros no Brasil – e não é em todas as competições. Não se sorteiam árbitros na Alemanha, em Espanha, na Inglaterra, em Itália e na Argentina – conselhos, comissões ou mesmo empresas, como sucede na Premier League, fazem as nomeações semanais.

Em Portugal, por vontade dos clubes, o sorteio regressa. Durará pelo menos duas épocas, enquanto Sporting e FC Porto não voltarem a ser campeões. Se o Benfica for tricampeão, tetracampeão ou mesmo pentacampeão, o problema poderá estar no sorteio e o regresso das nomeações será uma questão de tempo.

Isto é uma brincadeira? Tão grande como as dos dirigentes dos clubes que querem transformar a arbitragem num sorteio mandado.

700 visualizações