— ler mais..

Sabe-se como o treinador Béla Guttmann, bicampeão europeu com o Benfica, lançou na Luz uma terrível profecia: depois dele nunca mais a equipa ganharia a Taça dos Campeões, entretanto substituída pe..." /> — ler mais..

Sabe-se como o treinador Béla Guttmann, bicampeão europeu com o Benfica, lançou na Luz uma terrível profecia: depois dele nunca mais a equipa ganharia a Taça dos Campeões, entretanto substituída pe..." /> Semanada - Record
24 Setembro, 2012

Depois de Guttmann só faltava o bruxo de Fafe

Sabe-se como o treinador Béla Guttmann, bicampeão europeu com o Benfica, lançou na Luz uma terrível profecia: depois dele nunca mais a equipa ganharia a Taça dos Campeões, entretanto substituída pela milionária Champions. A verdade é que as águias estabeleceram a seguir um recorde pouco recomendável: foram 5 vezes finalistas vencidas. E nunca mais foram campeãs da Europa!

Agora é o bruxo de Fafe que vem dizer que o Benfica não voltará a ser campeão nacional enquanto não for desfeita uma magia negra que alguém lançou sobre os jogadores que rematam ao poste, os defesas que escorregam e os árbitros que decidem sempre mal.

Quem se atreve a cortar a cabeça ao galo negro numa 6.ª feira, 13, à meia-noite, no cruzamento da Fonte da Telha? Apre!

632 visualizações
12 Setembro, 2012

96 mortes depois

O governo britânico reconheceu, ao fim de 23 anos, que a responsabilidade pela morte de 96 adeptos, na meia-final da Taça de Inglaterra, entre Liverpool e Sheffield Wednesday, pertence à polícia.

Não foram os adeptos os responsáveis por se matarem por esmagamento, contra as redes de proteção de Hillsborough, em Sheffield, mas quem, em total descontrolo, lhes abriu a porta do estádio, precipitando a tragédia: a polícia.

A morte desses 96 adeptos mudou os estádios para sempre, pois a partir daí só foram admitidos lugares sentados e a venda de bilhetes limitada à lotação disponível. Mas não se sabe se mudou a ética de fazer política, onde esconder a verdade é cada vez mais a lei.

719 visualizações
4 Setembro, 2012

À maneira de Ronaldo

As razões por que Cristiano Ronaldo decidiu criar um “facto político” no Real Madrid só ele verdadeiramente conhece. Ele, Jorge Mendes, José Mourinho, Florentino Pérez e pouco mais.

Sejam quais forem essas razões, há para já uma conclusão a tirar: a estratégia de afirmação pública de CR7 é invariavelmente feita pela negativa. Desta vez não festejou, noutras alturas não sorri, ordena aos adeptos adversários para baixarem a bolinha ou até os manda a outra parte menos recomendável.

Sobre o brilhantismo futebolístico de Ronaldo ainda nem tudo foi dito, porque ele tem sempre maneira dos nos surpreender a cada semana que passa, já no que diz respeito à forma como escolheu relacionar-se com o Mundo estamos esclarecidos: ele prefere o fel ao mel.

521 visualizações