— ler mais..

Portugal vai cumprindo as baixas expectativas, em Londres'2012, confirmando-se que o torneio olímpico de judo é uma lotaria onde a obtenção dos melhores prémios depende de muito mais do que de..." /> — ler mais..

Portugal vai cumprindo as baixas expectativas, em Londres'2012, confirmando-se que o torneio olímpico de judo é uma lotaria onde a obtenção dos melhores prémios depende de muito mais do que de..." /> Semanada - Record
30 Julho, 2012

Regresso a Barcelona’1992

Portugal vai cumprindo as baixas expectativas, em Londres'2012, confirmando-se que o torneio olímpico de judo é uma lotaria onde a obtenção dos melhores prémios depende de muito mais do que de boa vontade. Telma Monteiro foi eliminada e perdeu-se a hipótese de medalha mais forte, entre toda a equipa nacional.

Resta esperar por um grande dia das maratonistas portuguesas. Mas que ninguém se admire se Portugal retroceder 20 anos e, tal como em Barcelona'1992, volte de mãos a abanar.

511 visualizações
12 Julho, 2012

Porta-estandarte deveria ser João Rodrigues

O Comité Olímpico atribuiu a Telma Monteiro a honra de ser a porta-estandarte de Portugal nos Jogos Olímpicos (JO), seguindo um critério de mérito: a judoca é a atual campeã europeia da sua categoria e n.º 2 do ranking mundial. Nada a opor. 

Mas esta escolha representa igualmente uma grande injustiça para o velejador João Rodrigues, que a partir de Londres'2012 passa a ser o desportista português com o recorde de presenças nos JO: 6! E Rodrigues também tem no currículo vitórias em Europeus e Mundiais.

Qualquer que fosse a escolha do COP seria sempre discutível, mas a opção pelo madeirense era a mais adequada pela marca histórica que alcançará na capital inglesa.  

553 visualizações
3 Julho, 2012

Finalmente Iniesta

Guardiola, o multititulado ex-jogador e agora também ex-treinador do Barcelona, tem uma frase famosa – “Xavi tirou-me o lugar, mas eu hoje vi o futebolista que lhe vai tirar o lugar a ele” – para referir a primeira vez que observou Iniesta a jogar.

Na verdade, Iniesta não roubou o lugar de titular a Xavi, antes se lhe juntou num dos sindicatos mais brilhantes que o futebol já teve, no Barcelona e na seleção de Espanha. Mas…

Até aqui, quando se tratou de prémios individuais, Xavi foi ganhando terreno a Iniesta. Mas neste Europeu os papéis inverteram-se e Iniesta ganhou finalmente o título de MVP, curiosamente quando o companheiro do Barça abrandou no rendimento. O que prova que Guardiola tinha parte da razão: bastou uma pequena baixa de Xavi para que Iniesta lhe tomasse o lugar. O futuro é dele.

 

675 visualizações