Quando o Benfica é campeão, a economia cresce

21/04/2014
Colocado por: Bruno Simões
Autocarro do Benfica com os jogadores em festa.

Autocarro do Benfica com os jogadores em festa. Fonte: Vitor Chi/Record

Certamente já ouviu algum amigo seu dizer que o melhor que pode acontecer à economia é o Benfica ser campeão. Até o presidente da EDP pensa assim. Olhando aos últimos 20 anos, as vitórias do Benfica não se traduziram sempre no crescimento mais robusto da economia. Mas sempre que as águias festejaram no Marquês de Pombal, o PIB cresceu.

 

A ideia de que a conquista do campeonato pelo Benfica é um importante tónico para a economia não é nova. Aliás, até é bastante popular, inclusive junto de pessoas com bons conhecimentos de economia. Lembra-se do que disse António Mexia, CEO da EDP, há um ano atrás, antes do jogo com o FC Porto no Dragão? “Acho que era bom para Portugal que o Benfica saísse de lá campeão, acho que isso teria um efeito positivo no PIB”, assumiu então em entrevista à Antena 1 e Diário Económico.

 

Um dia depois de o Benfica ter conquistado o seu 33º campeonato, o Massa Monetária foi olhar para os números do INE e ver se esta teoria futebolística tem adesão à realidade. E a verdade é que, analisando os últimos 20 anos, sempre que os encarnados foram campeões o PIB cresceu. Aliás, em três dos quatro títulos nacionais conquistados nesse período (1994, 2010 e 2014, embora este último seja ainda uma previsão), o crescimento da economia foi sempre superior ao registado no ano anterior. A única excepção é 2005, o ano em que o clube presidido por Luís Filipe Vieira quebrou um jejum de 11 anos sem campeonatos. Nesse ano, a economia cresceu 0,8%, quando em 2004 havia expandido 1,6%.

 

Se olharmos para a última década, o ano em que a economia mais cresceu foi em 2010, expandindo 1,9%, precisamente um ano em que o Benfica foi campeão. E o campeonato conquistado este ano vai acabar por ter um significado simbólico: depois de três anos de troika, em que o FC Porto foi tricampeão e em que a economia esteve sempre em recessão (-1,3% em 2011, -3,2% em 2012 e -1,4% em 2013), 2014 deve marcar o regresso do crescimento: as previsões apontam para uma subida de 1,2% do PIB.

É inevitável fazer o paralelo com o que se passou há exactamente 20 anos: em 1994, o último campeonato que o Benfica ganhou no século XX coincidiu com uma recuperação que pôs fim à maior recessão desde 1984. Nesse ano, a economia cresceu 1,5%, o que contrasta com uma queda de 0,7% do PIB em 1993.

 

Olhando para o consumo privado, a tendência é muito semelhante: sempre que o Benfica foi campeão, o consumo teve um comportamento positivo. E, mais uma vez, só em 2005 é que cresceu menos do que no ano anterior – que foi, recorde-se, o ano do Euro 2004. Em 1994 o consumo expandiu 0,8%, em 2005 2,1%, em 2010 1,9% e este ano deve crescer 1,3%.

 

Maior crescimento veio com o FC Porto

 

Mas se todos os anos em que o Benfica foi campeão trouxeram crescimento à economia, também é verdade que as melhores performances ocorreram em anos de títulos do FC Porto. Analisando igualmente os últimos 20 anos, o final da década de 1990 teve taxas de crescimento robustas que coincidem com o pentacampeonato dos dragões. Em 1995, a economia cresceu 2,3%, em 1996 saltou para 3,7%, em 1997 avançou para 4,4% e em 1998, ano da Expo, atingiu um pico de 5,1%, o que coincidiu com o tetracampeonato do FCP. O ano do “penta” da equipa da Invicta foi marcado por um crescimento de 4,1%. Tudo somado, nos cinco anos do “penta”, o crescimento foi de 19,6%! Trata-se de taxas de crescimento inimagináveis nos dias de hoje.

 

Os dois campeonatos do Sporting, em 2000 e 2002, coincidiram com um crescimento do PIB de 3,9% e de 0,8%, respectivamente, mais do que pulverizando o melhor registo do Benfica nos últimos 20 anos. Já o Boavista, que conquistou o título em 2001, viu a economia expandir 2% nesse ano.

 

Contas feitas, nas últimas duas décadas o FC Porto conquistou 14 campeonatos e, somando anos de crescimento e de recessão, o PIB engordou 15,3% em termos agregados. Já o Benfica conquistou quatro campeonatos, sendo que nesses anos a economia cresceu no total 5,4%.O Sporting ganhou duas vezes a principal competição de clubes, amelhando um crescimento total de 4,7%, e o Boavista, com um campeonato, “conseguiu” expandir a economia 2%.

 

Em resumo: o Benfica campeão ajuda a economia? Ajuda sim senhor. Mas ninguém a ajudou mais do que a FC Porto.

 

Nota: Este exercício não pretende interpretar de forma académica a evolução da economia nas últimas duas décadas, nem afirmar uma relação causal entre as vitórias de campeonatos dos vários emblemas e o desempenho da economia. Mas que quando o Benfica foi campeão nos últimos 20 anos, o PIB cresceu sempre, isso é indesmentível!

Bruno Simões

Bruno Simões

Bruno Simões nasceu 1988 e está no Negócios desde Novembro de 2009. Escreve regularmente sobre política, poder local e questões de política internacional. Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, deu os primeiros passos na profissão no jornal académico "ComUM".
Bruno Simões