Claudia Futsal

Tudo a postos rumo à Eslovénia

6 Abril, 2017 0

A Seleção Nacional está desde esta quinta-feira em Calarasi, na Roménia, onde vai disputar o Grupo D de apuramento para o Campeonato da Europa Eslovénia 2018.

Portugal parte como favorito à qualificação direta (ou seja, a vencer o grupo) e nem a alteração à última hora na convocatória, a saída do lesionado Cardinal e a entrada de Pedro Cary, desmotivou a equipa.

O primeiro jogo é este sábado frente à Letónia, que os portugueses defrontaram apenas por uma vez. Segue-se a Finlândia (domingo) e o anfitrião (terça-feira).

Calendário do Grupo D
Dia 8/4
PORTUGAL-Letónia, 14h30 (direto na CMTV)
Roménia-Finlândia, 17 horas
Dia 9/4
Finlândia-PORTUGAL, 14h30 (direto na CMTV)
Roménia-Letónia, 17 horas
Dia 11/4
Letónia-Finlândia, 13h30
PORTUGAL-Roménia, 16 horas (direto na CMTV)
Nota: hora em Portugal Continental, menos 2 horas do que na Roménia

 

IMG_20170404_175322_880 IMG_20170404_175322_881

OPINIÃO – Porquê fazer de conta que está tudo bem?

29 Setembro, 2016 0

A Seleção Nacional de futsal foi afastada da final do Campeonato do Mundo num jogo em que se evidenciaram algumas fragilidades da formação das quinas. Defendemos mal, sofremos golos infantis, não tivemos fio de jogo e… falhámos golos de forma inacreditável. As individualidades não se destacaram  e o valor do adversário também não ajudou.

Nós, sim, nós. Porque nos é pedido para sermos 1 de 11 milhões no momento de apoiar e passar a madrugada a sofrer em frente à televisão, também temos o direito de falar sobre o que está mal. Tapar o sol com a peneira não ajuda em nada o crescimento da modalidade. Nada.

Estamos orgulhosos por ter chegado a uma meia-final onde já tinhamos estado? Claro que sim!
É importante para o futsal português estar entre os quatro melhores do Planeta? Sem dúvida!
Mas se não aceitarmos que algo correu mal, não se tenta corrigir-se os erros e no futuro estes voltarão a repetir-se.

Não vou pelo caminho mais fácil, que seria culpar o selecionador Jorge Braz, que no banco não pode fazer aquilo que 5 jogadores não fazem em campo. O problema é muito mais profundo e a culpa também é da estrutura e dos clubes, nomeadamente pela defesa cada vez menor do jogador português e da formação.

Li hoje um artigo escrito por um entendido na modalidade, o treinador Luís Manta, na qual aborda o que correu mal. Concordo praticamente com tudo, por isso partilho aqui a sua reflexão, que vale a pena ler: http://emproldofutsal.blogspot.pt/2016/09/o-mundial-seleccao-o-sporting-e-o.html?spref=fb

Agora, esta Seleção tem de levantar a cabeça, esquecer o desaire e focar-se no objetivo possível, a conquista da medalha de bronze, sábado frente ao Irão. Eu acredito, mas os jogadores também têm de acreditar e não acusar a pressão.

 

Venha de lá o Usbequistão!

14 Setembro, 2016 0

Depois do empate na estreia com a Colômbia (1-1) e da goleada ao Panamá (9-0), a Seleção Nacional prepara-se para defrontar o Usbequistão, na madrugada de sexta-feira para sábado (2 horas da manhã).

 

Ao contrário das outras duas equipas, que Portugal nunca tinha defrontado, o usbeques já são conhecidos… em jogos de preparação. As duas formações já se encontraram três vezes, apenas em particulares, e os portugueses saíra, sempre vencedores. O último encontro foi no passado dia 1 de setembro e terminou 5-1.

 

Neste momento a formação asiática é a última classificada do Grupo A, com um ponto conquistado no duelo com os colombianos. Os usbeques garantiram pela primeira vez a presença na fase final do Campeonato do Mundo, fruto do trabalho desenvolvido pelo treinador espanhol José Maria Mendez ‘Pulpis’.

 

Portugal assumiu a liderança do grupo, após o triunfo com os ‘canaleros’.

 

Todos os duelos Portugal-Usbequistão
Data                  Resultado          Marcadores
18/9/2012          5-2                  Gonçalo Alves (2), Pedro Cary, João Matos  e Leitão
19/9/2012          3-1                  Leitão, Pedro Cary e Joel Queirós
1/9/2016            5-1                  Bruno Coelho, Ricardinho, Miguel Ângelo, Djô e Tiago Brito

Cardinal – herói e goleador-mor em dia de jogo 100

11 Setembro, 2016 0

A Seleção Nacional iniciou o Campeonato do Mundo de futsal com um empate frente à Colômbia, que surgiu nos últimos instantes da partida dos pés de Cardinal. No dia em que cumpriu a 100.ª internacionalização.

Foi um dia inesquecível para o pivô do El Pozo Múrcia, que para além de ter evitado a derrota nacional ainda se tornou o melhor marcador da formação das quinas em fases finais do campeonato do Mundo, com 10 golos marcados.

Recorde os golos do pivô portuense nesta competição.
Mundial                 Adversário                  Golos            Resultado
Brasil’2008           Estados Unidos             1                 Vitória 8-1
Brasil’2008           Tailândia                       1                 Vitória 3-2
Tailândia’2012      Líbia                             3                 Vitória 5-1
Tailândia’2012      Japão                            2                 Empate 5-5
Tailândia’2012      Brasil                            1                 Derrota 1-3
Tailândia’2012      Paraguai                        1                 Vitória 4-1
Colômbia’2016     Colômbia                       1                 Empate 1-1

Todos a Odivelas!

10 Abril, 2016 0

É já na terça-feira que Portugal pode garantir a presença no Campeonato do Mundo Colômbia’2016. O jogo com a Sérvia, a contar para a 2.ª mão do playoff, disputa-se a partir das 19h30, no Pvilhão Multiusos de Odivelas.

A formação das quinas parte para este jogo em vantagem, depois de ter vencido a 1.ª mão por 2-1, com golos de Cardinal e João Matos.

A fase final do Mundial decorre de 10 de setembro e 1 de outubro, nas cidades colombianas de Bucaramanga, Cali e Medellín. Para já estão apuradas dez seleções: a anfitriã Colômbia, Argentina, Brasil, Paraguai, Austrália, Irão, Tailândia, Uzebequistão, Vietnam e Ilhas Salomão (Oceania).

Para esta partida o selecionador Jorge Braz convocou os seguintes jogadores: Anilton (Fundão); Arnaldo (Latina C5); Cardinal e Ricardinho (Inter Movistar); Tiago Brito e Vítor Hugo (Sp. Braga); Bruno Coelho, Fábio Cecílio e Ré (Benfica); André Sousa, Fabinho, João Matos, Pedro Cary e Paulinho (Sporting).

OPINIÃO – O trauma de enfrentar os melhores

7 Fevereiro, 2016 0

Eis que chega aquele momento do Campeonato da Europa em que um grande número de adeptos pensa que já tudo está perdido e que se calhar já nem vale a pena entrar em campo. A Seleção Nacional perdeu com a Sérvia num jogo em que não esteve no seu melhor, acrescentando a erros defensivos (que não se esperam de uma equipa do seu gabarito) a uma finalização desafinadíssima. Segue-se a Espanha.

Seja em futsal, futebol ou qualquer outra modalidade, é nos momentos de defrontar os grandes que vem ao de cima o nosso síndrome de pequenez e “coitadinhos”. É certo que nunca vencemos a Espanha em jogos oficiais, mas será que é impossível tal acontecer? Será que já se pode escrever o destino de uma seleção só por causa do nome do adversário? Penso que não, mas há muita coisa em jogo, não apenas o futsal jogado…

Infelizmente habituei-me, ao longo destes 13 anos a acompanhar a Seleção, a ver a equipa a cair sempre frente aos mesmos adversários e pela mesma razão: falta de mentalidade. É aqui que está a chave para o duelo Ibérico de amanhã. Ricardinho e companhia não podem entrar em campo a pensar que o adversário é fortíssimo e intransponível, têm, isso sim, de entrar com vontade de mostrar que conseguem ser iguais ou superiores a La Roja; que merecem vestir a camisola das quinas.

Agora há coisas que não se treinam. A mentalidade de campeão ou se tem ou não. O treinador pode ser o melhor do Mundo, que se os jogadores não acreditarem, nada sai como o previsto; a formação pode ter o melhor jogador do Planeta, que se os outros não remarem para o mesmo lado e com o mesmo querer não se atingem os objetivos.

Se acredito que a Seleção Nacional tem valor para bater a Espanha? Acredito. Quanto ao resto, não faço apostas, é esperar para ver. Mas sempre com otimismo.

Belgrado renascida recebe o Europeu

1 Fevereiro, 2016 0

Quem como eu cresceu na década de 90, lembra-se de ouvir falar de cidades como Belgrado ou Sarajevo pelas piores razões. A Guerra dos Balcãs matou milhares de pessoas e alterou o mapa político daquela região, que se denominava de Jugoslávia. Nasceram novas nações, mas ficaram algumas feridas que que mais de duas décadas depois ainda não sararam.

Mas não é de história ou geopolítica que trata este texto.

Belgrado é palco do Campeonato da Europa, que arranca esta terça-feira naquela cidade balcânica. A Seleção Nacional viajou no domingo de manhã e estreia-se apenas na quinta-feira, frente à Eslovénia, formação que pode parecer desconhecida mas que no último Europeu venceu a campeã Itália na fase de grupos.

Se quer saber tudo sobre este Europeu, esteja atento ao site do seu Record.

Até já!