Claudia Futsal

Cardinal – herói e goleador-mor em dia de jogo 100

11 Setembro, 2016 0

A Seleção Nacional iniciou o Campeonato do Mundo de futsal com um empate frente à Colômbia, que surgiu nos últimos instantes da partida dos pés de Cardinal. No dia em que cumpriu a 100.ª internacionalização.

Foi um dia inesquecível para o pivô do El Pozo Múrcia, que para além de ter evitado a derrota nacional ainda se tornou o melhor marcador da formação das quinas em fases finais do campeonato do Mundo, com 10 golos marcados.

Recorde os golos do pivô portuense nesta competição.
Mundial                 Adversário                  Golos            Resultado
Brasil’2008           Estados Unidos             1                 Vitória 8-1
Brasil’2008           Tailândia                       1                 Vitória 3-2
Tailândia’2012      Líbia                             3                 Vitória 5-1
Tailândia’2012      Japão                            2                 Empate 5-5
Tailândia’2012      Brasil                            1                 Derrota 1-3
Tailândia’2012      Paraguai                        1                 Vitória 4-1
Colômbia’2016     Colômbia                       1                 Empate 1-1

Todos a Odivelas!

10 Abril, 2016 0

É já na terça-feira que Portugal pode garantir a presença no Campeonato do Mundo Colômbia’2016. O jogo com a Sérvia, a contar para a 2.ª mão do playoff, disputa-se a partir das 19h30, no Pvilhão Multiusos de Odivelas.

A formação das quinas parte para este jogo em vantagem, depois de ter vencido a 1.ª mão por 2-1, com golos de Cardinal e João Matos.

A fase final do Mundial decorre de 10 de setembro e 1 de outubro, nas cidades colombianas de Bucaramanga, Cali e Medellín. Para já estão apuradas dez seleções: a anfitriã Colômbia, Argentina, Brasil, Paraguai, Austrália, Irão, Tailândia, Uzebequistão, Vietnam e Ilhas Salomão (Oceania).

Para esta partida o selecionador Jorge Braz convocou os seguintes jogadores: Anilton (Fundão); Arnaldo (Latina C5); Cardinal e Ricardinho (Inter Movistar); Tiago Brito e Vítor Hugo (Sp. Braga); Bruno Coelho, Fábio Cecílio e Ré (Benfica); André Sousa, Fabinho, João Matos, Pedro Cary e Paulinho (Sporting).

Belgrado renascida recebe o Europeu

1 Fevereiro, 2016 0

Quem como eu cresceu na década de 90, lembra-se de ouvir falar de cidades como Belgrado ou Sarajevo pelas piores razões. A Guerra dos Balcãs matou milhares de pessoas e alterou o mapa político daquela região, que se denominava de Jugoslávia. Nasceram novas nações, mas ficaram algumas feridas que que mais de duas décadas depois ainda não sararam.

Mas não é de história ou geopolítica que trata este texto.

Belgrado é palco do Campeonato da Europa, que arranca esta terça-feira naquela cidade balcânica. A Seleção Nacional viajou no domingo de manhã e estreia-se apenas na quinta-feira, frente à Eslovénia, formação que pode parecer desconhecida mas que no último Europeu venceu a campeã Itália na fase de grupos.

Se quer saber tudo sobre este Europeu, esteja atento ao site do seu Record.

Até já!

Os riscos de Jorge Braz

17 Janeiro, 2016 0

A Seleção Nacional começa esta segunda-feira a preparar a participação em mais um Campeonato da Europa (de 2 a 13 de fevereiro, na Sérvia). O selecionador Jorge Braz voltou a não ter uma tarefa fácil na realização da convocatória final, mas este ano teve um desafio extra: colmatar uma lacuna certa nos dois jogos da fase de grupos.

A expulsão de Cardinal na fase de apuramento para esta prova, em março, vai afastar o pivô dos dois primeiros jogos, com a Eslovénia e Sérvia. Assim, e com menos uma opção como jogador de campo, o técnico nacional teve de abdicar de um dos seus princípios: levar sempre três guarda-redes.
Assim, este ano só Bebé e Vítor Hugo são opções para a baliza, um risco calculado pelo treinador que em caso de lesão poderá sempre chamar um outro elemento para esta posição, mas não em caso de expulsão. Acaba por ser uma medida perigosa, mas que teve de ser tomada pelo treinador, que não pode abdicar do melhor pivô português em atividade para uma segunda fase na qual se acredita que a formação das quinas estará.

De resto, a lista conta com menos experiência – relativamente ao Europeu de 2014 faltam os experientes João Benedito, Gonçalo Alves e Pedro Costa – mas alguma irreverência. Destaque obviamente para Anilton, que apesar de não ser presença habitual na Seleção merece a chamada por aquilo que tem feito ao serviço do Fundão. Das caras novas, mas menos surpresa, estão o fixo Fábio Cecílio e o homem que marcou o golo que valeu a presença de Portugal na Sérvia, Tiago Brito.

Houve riscos nesta lista, claro que sim, mas por vezes não há grande margem de manobra. Concorde-se ou não com as escolhas de Jorge Braz, certo é que a partir de segunda-feira esta será a nossa Seleção e é nestes 14 jogadores que estão depositas as esperanças de uma Nação. Agora, todos somos Portugal.