— ler mais..

A vitória de ontem do FC Porto sobre o Benfica não valeu apenas 3 pontos. De algum modo, foi um triunfo que ressarciu os portistas, após duas épocas a seco, com dois títulos nacionais do Benfica. ..." /> — ler mais..

A vitória de ontem do FC Porto sobre o Benfica não valeu apenas 3 pontos. De algum modo, foi um triunfo que ressarciu os portistas, após duas épocas a seco, com dois títulos nacionais do Benfica. ..." /> A vitória do FC Porto valeu por duas épocas - Bola na Área - Record

Bola na Área

Voltar ao blog

A vitória do FC Porto valeu por duas épocas

21 Setembro, 2015 850 visualizações

A vitória de ontem do FC Porto sobre o Benfica não valeu apenas 3 pontos.

De algum modo, foi um triunfo que ressarciu os portistas, após duas épocas a seco, com dois títulos nacionais do Benfica.

O jogo resolveu-se, curiosamente, com um erro do Benfica e um pequeno golpe de sorte. Com o jogo a caminhar para o fim, e com o empate a servir aos encarnados (que muito cedo se fixaram neste objetivo), uma saída precipitada para o ataque num meio-campo muito povoado resultou num ressalto feliz que constituiu uma assistência para Brahimi, que foi por ali fora, tocou para Varela e viu este isolar André André na cara de Júlio César. Atente-se, com a ajuda do Rui Malheiro, no sítio onde está Jardel, que deixou Luisão completamente exposto a qualquer movimento de contra-ataque.

A verdade é que o FC Porto fez por isto, depois de uma primeira parte medíocre, na qual o Benfica teve duas boas chances para marcar. Aboubakar, por duas vezes, também podia ter inaugurado o marcador antes do lance decisivo.

Lopetegui, que foi assobiado quando trocou Aboubakar por Osvaldo, acabou por ganhar o jogo com a ajuda de um jogador que fez saltar do banco na altura certa – Varela. Rui Vitória perdeu-o quando decidiu tirar Jonas e apostar em Talisca.

O FC Porto não deslumbrou, o Benfica até teve largos momentos em que mostrou personalidade e coragem, mas o resultado final não pode ser contestado.

Quanto à arbitragem de Artur Soares Dias, obviamente que hoje quem perdeu vai descobrir crimes de lesa majestade, reclamando mais amarelos para os jogadores do FC Porto e eventuais expulsões, esquecendo-se que um árbitro tem o dever de usar um critério mais largo para não desequilibrar as contendas com as suas ações disciplinares. Um jogador que já tem um “amarelo” tem, por norma, uma margem maior de tolerância nos lances que a seguir disputa e que podem dar origem a um segundo. Não está nas 17 leis do jogo mas está na tal 18.ª lei, que é a do bom senso, que sempre falta um pouco quando um jogos tem um vencedor e um vencido, embora seja relativo apenas à 5.ª jornada do campeonato…

Esta é uma vitória que anima o FC Porto mas ainda não convence os portistas relativamente a Lopetegui e também uma derrota que não coloca Rui Vitória em perigo de exclusão mas que o confirma como um treinador destinado a esta época correr um tanto por fora.

 

 

Comentários