— ler mais..

BnA experimentou hoje uma nova tecnologia que lhe permite descortinar o que alguns futebolistas dizem durante a ação. Por exemplo, este diálogo entre Drogba e Raul Meireles que passamos a reproduz..." /> — ler mais..

BnA experimentou hoje uma nova tecnologia que lhe permite descortinar o que alguns futebolistas dizem durante a ação. Por exemplo, este diálogo entre Drogba e Raul Meireles que passamos a reproduz..." /> O que disse Drogba a Raul Meireles - Bola na Área - Record

Bola na Área

Voltar ao blog

O que disse Drogba a Raul Meireles

4 Abril, 2012 1072 visualizações

BnA experimentou hoje uma nova tecnologia que lhe permite descortinar o que alguns futebolistas dizem durante a ação. Por exemplo, este diálogo entre Drogba e Raul Meireles que passamos a reproduzir:

DROGBA – Ah grande Raul, não podias ter sido mais reles…

RAUL MEIRELES – Não posso com estes vermelhos! Quando jogo com eles vejo tudo aos quadradinhos.

DROGBA – Olha lá, tens o número do mon ami Platini?

RAUL MEIRELES – Pá, devo-o ter tatuado algures no meu corpo, mas podes pedi-lo ao Vieira.

DROGBA – Já estou a tremer de medo, meu!

RAUL MEIRELES – Vais ver que o Villas-Boas ainda vai ser campeão europeu depois de ter vencido a Liga Europa!

DROGBA – Grande visconde de Guilhomil! Que saudades eu tenho dele!

RAUL MEIRELES – Ok, Didier, vamos é festejar.

DROGBA – Bora lá. Mas primeiro vamos levantar o cheque.

RAUL MEIRELES – É que isto hoje ia dando para o torto…

DROGBA – Escusavas era de fazer um toma aos gajos do Benfica…

RAUL MEIRELES – Não foi nada disso. Apenas lhes desejei boa sorte para o jogo com o Gil Vicente. Gosto muito do Benfica. Até estou a pensar tatuar uma águia.

DROGBA – Onde?

RAUL MEIRELES – Para já não tenho espaço mas pode ser que me cresça um dedo, como ao Álvaro Magalhães.

DROGBA – Tens preferência por algum?

RAUL MEIRELES – Sim, o médio.

COMENTÁRIO EM DESTAQUE

Georg Hegel disse em 05-04-2012 às 09h26

Depois de ter respondido ao Dragão, alguns considerandos, sobre o jogo de ontem.

Exibição de grande dignidade e carácter do Benfica, que teve o condão de fazer esquecer que estávamos a jogar uns quartos de final da Liga dos Campeões, em Stanford Bridge, sem centrais e sem lateral direito durante 50 minutos.

Gostaria de destacar, na equipa do Benfica… A EQUIPA DO BENFICA. Todos, sem excepção. Mas, obviamente, como em tudo na vida, há uns mais do que outros. Emerson, tantas vezes criticado (por mim inclusive) fez um jogo exemplar. Teve alma até…Almeida. Era   previsivel grande fragilidade, mas esteve melhor, bem melhor do que Javi.

Outra grande, grande exibição: Matic! É um jogador que eu, particularmente, aprecio muito. Ontem esteve irrepreensível na protecção aos defesas centrais e ainda ajudou Witsel e Aimar no lançamento ofensivo da equipa.

Witsel: Já começa a ser dificil adjectivar este belga. O equilibrio da equipa, tanto com 11 como com 10 passa todo por ele. Não é, um lateral direito, obviamente, mas tem um coração enorme.

No Chelsea, sinceramente, o melhor foi Petr Cech. Grane exibição do checo a impedir que o Benfica tivesse seguido em frente na prova. Defesas fundamentais a remates de Cardozo, Djaló e Rodrigo foram uma garantia para a passagem dos ingleses.

Relativamente ao árbitro, o penalty é penalty, o amarelo a Maxi, e a Bruno César, tão lestamente mostrado por protestos, não teve paralelo em Mata, Torres ou Terry no Chelsea. O segundo amarelo para Maxi é justo, mas o primeiro, a haver equidade de tratamento, não o poderia ter sido. Ou então Terry também não acabaria o jogo e teria de ser expulso antes de Maxi. Por protestos veementes e por quase “partir” Aimar ao meio, se bem se lembram. O que fez o árbitro, em ambos os casos, do ponto de vista disciplinar? Nada. Inclinou o campo, e muito.

É realmente uma questão de força e de estatuto. Ponto final. A meia final Barcelona – Chelsea coeçou a escrever-se na cegueira de Paolo Tagliavento na partida da Luz.

Ironia fina dos adeptos do Benfica ao gritarem o nome de Michel Platini. Se ele não viu, concerteza alguém lhe vai dizer. Lembram-se do desejo que ele manifestou para a final de Munique: Real-Barcelona. E não é que, at´o sorteio dos quartos e o emparelhamento posterior para as meias propiciaram isso? Curioso…

Uma palavra para a mancha vermelha em Stanford Bridge. Eram 3000 mas pareciam 30 000. E calaram os ingleses. Parabéns ao Benfica pelo carácter, parabéns aos adeptos pelo apoio. Tanto lá, como cá, à chegada. Isto é SER BENFICA.

Uma satisfação: Portugal está à frente da França (de Platini) no ranking da UEFA e é bom que assim continue, por isso hoje, com a alma cheia de benfiquismo, permitam-me que diga: CARREGA SPORTING…por PORTUGAL.