— ler mais..

Foi nesta sala da Alfândega do Porto que hoje se escreveu história. Poucas horas depois de Filipe Soares Franco ter anunciado a sua candidatura à presidência da FPF, 31 representantes dos 32 clube..." /> — ler mais..

Foi nesta sala da Alfândega do Porto que hoje se escreveu história. Poucas horas depois de Filipe Soares Franco ter anunciado a sua candidatura à presidência da FPF, 31 representantes dos 32 clube..." /> Eleições na FPF: o grande ‘coup d’etat’ - Bola na Área - Record

Bola na Área

Voltar ao blog

Eleições na FPF: o grande ‘coup d’etat’

8 Setembro, 2011 730 visualizações

Foi nesta sala da Alfândega do Porto que hoje se escreveu história.

Poucas horas depois de Filipe Soares Franco ter anunciado a sua candidatura à presidência da FPF, 31 representantes dos 32 clubes das Ligas profissionais decidiram apoiar a candidatura de Fernando Gomes, entre os quais o Benfica e o Sporting, sendo que pouco minutos depois de terminada esta reunião, onde esteve Luís Duque, Godinho Lopes anunciou que o candidato leonino é Hermínio Loureiro. Figura que, se saiba, nunca se assumiu como tal.

O que é certo é que Fernando Gomes já tem 21 votos num total de 84 do plenário que vai eleger o próximo presidente da FPF, bem assim como o Conselho de Arbitragem e os conselhos de disciplina e de justiça. A não ser que entretanto o Sporting, que foi eleito clube-delegado e tem direito a um voto, dê o dito por não dito e vote num candidato que ainda não existe.

Ou seja, neste momento só lhe faltam 22 votos para ser eleito por maioria simples, que é o que basta.

Com isto, Filipe Soares Franco fica desde já encostado às cordas e sem a certeza de poder contar com os votos das associações de futebol, da APAF, da ANTF ou do sindicato dos jogadores.

O cenário está montado. Gomes tem tudo para suceder a Madaíl.

Falta agora saber se vamos ter listas em concurso pelos apetecíveis conselhos, onde prevalece a eleição através do famoso método de Hondt.

Quanto à posição do Benfica, que acompanha o FC Porto na estratégia alegadamente cozinhada pelos clubes da II Liga, prefere Gomes na FPF a uma guerra, enquanto Pinto da Costa pode não apreciar tanto Gomes na FPF mas pelo menos com isto livra-se do inefável careca.

Só gostava de saber se neste entretanto os roupeiros dos clubes da II Liga e os enfermeiros dos clubes da I Liga já têm um consenso em relação ao próximo presidente da Liga de Clubes, sendo até possível que este posto sirva de prémio de consolação ao candidato derrotado nas próximas eleições da FPF. O tal que foi o primeiro a fazer-se anunciar.

Penso eu de que.