Lado B

Vitória tem nome de herói: Jardel!

14 Maio, 2016 0

Mais uma vitória importantíssima do Benfica na corrida ao título. Soma três pontos que lhe garantem a manutenção da liderança no final da ronda e coloca enorme pressão sobre o Sporting, que tem um jogo dificílimo no Dragão. O herói da noite: Jardel. Um golo decisivo num encontro em que o mais importante era mesmo ganhar. É verdade que sem nota artística, mas neste momento a condição física do Benfica não parece estar de modo a poder fazê-lo. É preciso somar pontos até final e não ceder. É isso que a equipa tem feito de forma brilhante, mesmo que vencendo os últimos 4 jogos pela margem mínima. Destaque também para o apoio da Luz. Os adeptos encarnados estão de parabéns. Enchem o estádio numa sexta à noite e acreditam até ao fim. Importantíssimos!

— ler mais

Milagres que se vão fazendo por cá

5 Abril, 2016 0

Texto publicado em Record Premium e na versão impressa a 16 de fevereiro de 2016

Justa e moralizadora. Eis duas palavras que se podem utilizar sobre a vitória do Benfica frente ao Zenit, equipa de investimento milionário que ontem caiu na Luz. Verdade que os russos jogavam contra o facto de estarem sem liga e logo com menos ritmo do que a formação portuguesa, mas não foi só isso que ajudou a esbater a enorme diferença de muitos milhões entre as equipas. Os clubes nacionais têm conseguido ao longo dos anos brilharetes na Europa que os milhões tentam evitar. Não há maneira de evitar o facto de sermos um país periférico, onde o investimento não abunda e com um mercado reduzido, que faz com que as somas libertadas para o futebol não se comparem a potências como as cinco grandes ligas europeias e a que outros aspirantes novo-ricos vieram juntar-se. Ontem foi com Jonas, descoberto a preço de saldo em Valencia, o inimitável Gaitán e o miúdo Renato que o Benfica enganou uma equipa onde jogam, por exemplo, ex-águias como Garay, Witsel ou o ‘rival’ Hulk. Não chegou. Ainda bem. Sabe melhor assim.

É óbvio que o apuramento está longe de garantido, mas ganhar sem sofrer golos na Liga dos Campeões é sempre bom. Obriga o Zenit a sair mais do que desejaria na 2.ª mão e potencia o momento mais forte do Benfica, as transições, jogando no erro do adversário. Razões de satisfação para Rui Vitória e toda a estrutura encarnada. E depois há os milhões da Champions. Vitais para a saúde dos cofres da SAD.

Estranho Salvio na bancada. O argentino foi convocado de surpresa com o FC Porto. Mereceu mesmo a entrada no clássico para tentar inverter a derrota. Foi chamado à conferência de antevisão do jogo onde disse que trabalhava para ser titular. Bancada? Algo falhou. Ou a comunicação chocou com as ideias do técnico, ou o físico. Tentar perceber o quê nos próximos dias.

Renato no centro das atenções

24 Fevereiro, 2016 0

Renato Sanches é o nome do momento na Luz. Elogiado por Rui Vitória, que vê nele o espelho do trabalho realizado na formação, teve direito também palavras fortes de Villas-Boas, que lhe sente uma confiança invulgar para um miúdo de 18 anos. Verdade. Poucas vezes um júnior se exibiu assim no meio-campo de um grande. O último de que me lembro? Talvez João Moutinho. A maturidade mostrada por Sanches, aliada a uma técnica apurada e uma capacidade fantástica para tornar o jogo simples e fazer a diferença podem torná-lo caso muito sério no futebol português. Resta-lhe trabalhar e juntar às extraordinárias capacidades físicas e técnicas vontade de correr atrás da bola quando ela é do adversário. Talvez esse o único reparo que lhe possa ser feito no jogo com o FC Porto.

— ler mais

#Benfica: um candidato que entusiasma

17 Fevereiro, 2016 1

TEXTO PUBLICADO EM RECORD PREMIUM E NA VERSÃO IMPRESSA A 6 DE JANEIRO DE 2016

 

Mais um amasso. Mais uma exibição em que o triunfo não deixa dúvidas. Mais um jogo em que o ataque se mostra arrasador. Eis apenas algumas das credenciais do candidato Benfica, que a certa altura pareceu arrumado pelos constantes falhanços nos jogos a doer mas que Rui Vitória e os jogadores souberam recuperar com brilhantismo. De 5 estrelas. Cintilantes.

— ler mais

Slimani dá asas ao sonho de Jesus

18 Janeiro, 2016 0

A vitória do Sporting eleva Jesus ao estatuto de treinador de um candidato forte à conquista do título e hoje de semideus para os adeptos leoninos. Os golos de Slimani confirmaram o poder da formação sportinguista, que perdeu na posse de bola, esse um mito que Lopetegui quis importar de Espanha para a Liga nacional, mas sem a profundidade que o produto original revela. E sabe-se como as cópias são quase sempre sempre inferiores aos originais. No Dragão é o caso.

 

JJ revela uma capacidade de adaptação à realidade leonina que não parecia possível num homem da sua idade e vindo da riqueza e abastança que conheceu na Luz. Impedido de usar Carrillo, Jesus faz de Matheus e Gelson os galgos para ganhar terreno nas alas. Quando Lopetegui foi ao banco refrescar, de lá saíram craques feitos como Tello ou André André. Já na hora da juventude, com André Silva foi troca por troca com Aboubakar, acentuando a característica conservadora que lhe é imputada no banco. Uma vez mais, com custos.

 

A liderança que o Sporting perdeu na Madeira num jogo em que simplesmente não merecia a derrota, foi ontem reconquistada com brilho. E com a vitória no clássico JJ soma três triunfos frente ao Benfica e um com o FC Porto. É verdade que a Liga dos Campeões ficou pelo caminho. E que a Taça de Portugal se esfumou em Braga, mas no melhor jogo de futebol visto por cá esta época. Mas o que interessa aos adeptos é mesmo a conquista do campeonato. E a Bruno de Carvalho. E a Jesus. Eles são os homens com vontade de festejar hoje. Os protagonistas de uma onda verde que viu a frieza de Slimani dar asas ao sonho de Jesus.

 

Rui Vitória voltou a sorrir num estádio onde foi muito feliz. Renato Sanches deu-lhe razões para isso. Num jogo sem brilho, sim, mas que coloca o Benfica a dois pontos do FC Porto. E há tanto para jogar.

 

Texto publicado em Record Premium e na versão impressa a 3 de janeiro de 2016