Lado B

Dérbi mais importante jogou-se à mesa

25 Maio, 2017 0

Confesso que não sou o maior admirador das capacidades futebolísticas de Schelotto, o habitual lateral-direito do Sporting, mas ontem passei a admirá-lo pela capacidade de juntar à mesa na inauguração do seu restaurante os rivais Carrillo, Grimaldo e Jiménez com o plantel leonino. O ítalo-argentino deu um excelente exemplo ao futebol português. A dirigentes, treinadores e adeptos. A verdade é que no meio todos sabem que os jogadores rivais têm relações de amizade, mas o atual clima pode levar as pessoas a pensar que o ódio está espalhado por todo o lado. Como Schellotto provou ontem leões e águias são perfeitamente capazes de colocar as azias para trás das costas e sentar-se à mesa no que será o novo projeto de vida para o jogador do Sporting. Muchas gracias!

— ler mais

Uma derrota há muito anunciada

11 Fevereiro, 2016 3

Carrillo é jogador do Benfica. Uma novela de desfecho pouco inesperado e que se anunciava desde que o peruano e o Sporting cortaram relações. A incapacidade para se chegar a um acordo de renovação, certamente com falhas de ambas as partes, só podia acabar assim. Vieira nunca perderia a oportunidade de dar tamanha bicada a Bruno de Carvalho. Resta tentar adivinhar se o jogador não terá chegado a acordo com as águias há meses. Eis algo que nunca saberemos pois… é ilegal. Diria que nenhum jogador arrisca o futuro sem a certeza de que tem algo melhor. Alguém acredita que Maxi só disse que sim ao FC Porto após o final da época passada? E isso interessa pouco. Quem não quer perder jogadores tem de ser lesto.

— ler mais

Slimani dá asas ao sonho de Jesus

18 Janeiro, 2016 0

A vitória do Sporting eleva Jesus ao estatuto de treinador de um candidato forte à conquista do título e hoje de semideus para os adeptos leoninos. Os golos de Slimani confirmaram o poder da formação sportinguista, que perdeu na posse de bola, esse um mito que Lopetegui quis importar de Espanha para a Liga nacional, mas sem a profundidade que o produto original revela. E sabe-se como as cópias são quase sempre sempre inferiores aos originais. No Dragão é o caso.

 

JJ revela uma capacidade de adaptação à realidade leonina que não parecia possível num homem da sua idade e vindo da riqueza e abastança que conheceu na Luz. Impedido de usar Carrillo, Jesus faz de Matheus e Gelson os galgos para ganhar terreno nas alas. Quando Lopetegui foi ao banco refrescar, de lá saíram craques feitos como Tello ou André André. Já na hora da juventude, com André Silva foi troca por troca com Aboubakar, acentuando a característica conservadora que lhe é imputada no banco. Uma vez mais, com custos.

 

A liderança que o Sporting perdeu na Madeira num jogo em que simplesmente não merecia a derrota, foi ontem reconquistada com brilho. E com a vitória no clássico JJ soma três triunfos frente ao Benfica e um com o FC Porto. É verdade que a Liga dos Campeões ficou pelo caminho. E que a Taça de Portugal se esfumou em Braga, mas no melhor jogo de futebol visto por cá esta época. Mas o que interessa aos adeptos é mesmo a conquista do campeonato. E a Bruno de Carvalho. E a Jesus. Eles são os homens com vontade de festejar hoje. Os protagonistas de uma onda verde que viu a frieza de Slimani dar asas ao sonho de Jesus.

 

Rui Vitória voltou a sorrir num estádio onde foi muito feliz. Renato Sanches deu-lhe razões para isso. Num jogo sem brilho, sim, mas que coloca o Benfica a dois pontos do FC Porto. E há tanto para jogar.

 

Texto publicado em Record Premium e na versão impressa a 3 de janeiro de 2016