Bola na Área

A Oeste nada de novo (ou quase)

17 Março, 2012 0

Jesus pediu o Chelsea e saiu mesmo o Chelsea.

O pior que podia acontecer ao Benfica nesta fase da Champions era ser eliminado pelo Apoel.

O treinador do Benfica mostrou mais uma vez que às vezes pode parecer burro mas que consegue ser mais esperto que muitos xicos que andam por aí (e por aqui).

Quanto ao Sporting, o risco de traumatismo ucraniano é reduzido e o moral está lá no topo. Pena que o 1.º lugar do campeonato esteja tão longe, caso contrário ainda seria possível ver o Sporting também a lutar pelo caneco.

Pois, o Sp. Braga não descola. Vence e convence. Já não é um candidato, já é o candidato.

Na Luz, o Benfica venceu sem problemas.

Na Choupana, o FC Porto venceu com problemas mas venceu, que é o que interessa nesta fase.

Os dragões aproximam-se cada vez mais daquela que pode ser o mais improvável título da respectiva história.

Também acontece.

Benfica e Braga descolam…

29 Agosto, 2011 0

Ao que consta, se o mercado não fechasse 4.ª feira o Sporting ia continuar a contratar jogadores. Já vai no 16.º e talvez não fique por aqui.

A derrota dos leões frente ao Marítimo, no relvado onde o leão Sonho foi empurrado por um tractor, não foi propriamente uma surpresa, embora o Marítimo seja uma das equipas mais fracas do campeonatos.

Domingos não tem dois bons centrais, os laterais são demasiadamente ofensivos e só André Santos dá alguma pica a uma equipa onde Yanick vai justificando o rótulo de mal amado e Postiga continua a acertar nos postes, guarda-redes e defesas adversários (se precisarem do telefone do bruxo de Fafe eu arranjo).

Mas o Sporting também já promoveu a sua vaca sagrada: o guarda-redes Rui Patrício. Neste jogo com o Marítimo pelo menos responsável por um dos golos. Patrício continua a ser endeusado nos canais do costume e é aposta do treinador que o lançou também na selecção. Trazer o seu nome para aqui certamente despertará nos habituais frequentadores deste espaço a reacção biliar do costume. É a minha opinião e aqui fica. Estejam atentos.

Com tudo isto, Benfica e Sp. Braga já descolaram.

Esta vitória do Sp. Braga em Setúbal foi muito importante. Não só pelos 3 pontos mas também pela solidez já demonstrada pela equipa de Jardim. Num ano com 3 vagas para a Champions, eis um bom princípio.

Quanto ao Benfica, o que se viu, ou não se viu, na Choupana foi uma equipa sempre por cima do jogo mas jogando perto do limite do risco. Começa a perceber-se que está a nascer um novo Benfica ainda com velhos jogadores da época dourada do último título e JJ não está a inventar nem um bocadinho, limitando-se a seguir a…lógica. É uma atitude inteligente.

Bem, ficaria mal não falar do FC Porto. Pois bem: não vou mesmo falar. Fica para a próxima.

 

A pré-época

11 Julho, 2011 0

Com este blogue em “modo de férias”, sinónimo de descanso, o seu autor confessa que tem seguido a pré-época com um desinteresse ocioso. Não se espanta por isso nem com as goleadas frente às equipas de cozinheiros nem com os resultados mais sofridos frente a verdadeiras equipas treinadas por verdadeiros mestres da táctica. Há bofetadas que, está visto, também podem ser dadas com luva preta.

Para além destas minudências que fazem parte do calendário das festas, confesso-me também enojado com as declarações de alguns dis neófitos que estão a chegar aos nossos grandes clubes e que já são convidados a pronunciar-se sobre a situação de quem está nos clubes há muito tempo. Mas a culpa não é da maçaricada mas de quem formula as perguntas.

Já vamos percebendo o facilitismo de alguns rapazes com pouco talento que teimam em querer ver, por exemplo, em Vítor Pereira um novo Villas-Boas, descobrindo-lhe mérito incríveis, como seja o de pedir ordem para o jogo da sua equipa.

Domingos, por seu lado, continua entusiasmado e empolgado enquanto Carlos Freitas se tornou na figura do defesa, apresentando craques atrás de craques.

No Benfica, Carraça está cada vez mais agarrado aos costados de Jesus enquanto Rui Costa vai ficando bem nos bonecos.

Em Braga, Salvador foi o primeiro a sair para o ataque. Em boa forma e colocando toda a confiança em Jardim, o treinador português que se segue na galeria dos mitos.

Ao lado, na cidade-berço, é sem surpresa que acompanhamos o desenrolar de mais algumas novelas, com jogadores a fazerem exames médicos e a não assinarem e alguns veteranos com vontade de voltar mas sem conseguirem baixar a fasquia, que isto de dar beijinhos no emblema tem os seus custos…

O resto é obviamente paisagem.