<p>

Mais uma vez Jorge Jesus mete o bedelho onde não é chamado quando confessa a sua surpresa pelo facto de a eliminatória entre o FC Porto e o Manchester City ter sido tão desnivelada.

Embora conte com um “coach” que treina a sua comunicação, o técnico do Benfica gosta de pisar estes terrenos movediços. Vamos lá ver é se consegue “abafar” o Zenit, tal como prometeu… Tanto mais que este é um verbo muito traiçoeiro.

Quanto ao caso dos insultos racistas durante o FC Porto-Manchester City e as explicações estapafúrdias e estrambólicas de diversos responsáveis portistas, apetece-me recordar o célebre JP que afinal não era o Paixão mas sim o Joaquim Pinheiro que é irmão de Reinaldo Teles.

Entretanto, na Liga é que é mesmo o fim da macacada.

COMENTÁRIO EM DESTAQUE

kakaferrão disse em 24-02-2012 às 22h53

´Dar uma opinião sobre uma eleminatoria é meter o bedelho.

Ser prejudicado pelo arbitro,e culpar outras equipas,dizer que os arbitros favorecem outrs equipas e nunca a nossa ,não e meter o bedelho.